#15, Bar do David

De volta aos trópicos, a escolha do pique desta semana vem para não deixar nenhuma dúvida de que viajar é muito bom, mas nada se compara à felicidade de estar de volta em casa. E casa, para nós, é sinônimo de carinho, calor, cervejinha e comida do coração – por isso mesmo, pegamos carona no último fim de semana do Comida di Buteco (só perdoo esse nome “adaptado” porque ele foi criado em Minas e, como vcs já sabem, Minas é muito mais amor).

Pois bem. Depois de uma análise detalhada dos petiscos oferecidos nesta edição do festival, a verdade é que chegamos a poucos finalistas (porque, né, qual a novidade em oferecer filet mignon aperitivo?). A vontade era fazer um dia de petiscaria, mas outros compromissos nos impediram de cometer este gordicídio. Dentre os escolhidos, estava lá o Bar do David, uma antiga vontade nossa que ainda não tinha se concretizado.

E o Bar do David nos foi apresentado por quem? Ah sim, pela Juju (que, daqui a pouco, vai começar a cobrar participação nos lucros do blog – assim que a gente encontrar os lucros!). A fama do lugar vem de um prato curioso: uma feijoada de frutos do mar, feita com feijão branco, e que infelizmente não pode ser provada nesta visita. Estávamos focados nos petiscos, e por eles fomos.

A principal peculiaridade do Bar do David vem de sua localização: o recanto de gostosuras fica no Chapéu Mangueira, estrategicamente posicionado atrás da quadra da comunidade. Confesso que, quando programamos a visita pela primeira vez, fiquei um pouco grilada. Não por medo, que de fato não era necessário, mas por uma espécie de incômodo, uma sensação de estar invadindo um espaço que não é meu, agora que ele está “pacificado”. Mas, depois de ligarmos para o bar para descobrir a melhor maneira de chegar lá, falarmos com o próprio David (a personificação da simpatia) e ouvirmos “vem, irmão, me ajuda aê!”, todas as dúvidas foram esquecidas.

Então chega de papo e vamos ao que realmente interessa:

Petisco #1 :: Bolinho de camarão com catupiry empanado :: r$15
Sabe aquele salgadinho lindo, empanado, com a bundinha do camarão aparecendo, que sempre parece uma delícia mas, quando você morde, é pura decepção? Então, este é o caso, só que tirando a parte da decepção. Este bolinho é daqueles que faz qualquer um repensar a possibilidade de se fazer dieta em algum momento da vida. Camarão fresquinho e graúdo, massa delícia, frito sem ser gordurento. A própria concretização do pecado. E ainda por cima a porção é de 9 bolinhos (eu disse n-o-v-e) – o pecado, para piorar, é barato.

Petisco #2 :: Croquete de frutos do mar :: r$21,90
Eis o petisco concorrente ao prêmio do Comida di Buteco. A reinvenção da feijoada de frutos do mar (a massa do bolinho é feita de feijão branco e o recheio, um creme de frutos do mar) me pareceu menos gostosa do que o bolinho de camarão. Apesar de a massa do croquete ser realmente uma delícia e muito interessante (Edu parecia em êxtase, não parava de elogiá-la!), o recheio não tinha todo o sabor que esperávamos. E a porção era mais modesta: ainda que bem grandes, são oferecidos quatro croquetes. Mesmo com todos os poréns, o petisco era bem gostoso, apenas sofreu com a concorrência desleal do camarão.

Prato principal :: Carioquinha :: r$ 13
Como estávamos acompanhados de um amigo alérgico a frutos do mar (pura maldade com ele, mas sempre vale a cerveja!), acabamos experimentando também um dos pratos do cardápio. Lindamente nomeado “carioquinha”, é composto de feijão tropeiro, linguiça mineira, couve e arroz, por modestíssimos r$13. A linguicinha estava muito gostosa e o tropeiro, só um arraso define. O que nos deixou com uma infestação de pulgas atrás da orelha, já que o pastel de tropeiro, um dos petiscos do cardápio, não estava sendo feito naquele dia.

E para coroar uma petiscaria de altíssimo nível, só mesmo uma cerveja na temperatura em que a nossa estava. Se houvesse qualquer dúvida quanto a isso, a garrafa não nos deixaria mentir – ali era o reino da tentação. O atendimento é outro ponto alto: o David é realmente uma fofura e as meninas que nos atenderam, só simpatia. Apesar da confusão para se conseguir uma mesa, fomos atendidos o tempo todo com tranquilidade e da maneira mais gracinha possível. E tudo isso, queridos leitores, por r$83, para as quatro pessoas, incluindo as bebidas. O único deslize que cometemos foi não experimentar mais comidinhas. Por conta do cronograma apertado, por não termos mais comensais.

Mas vocês não acham que voltaremos? Sim ou com certeza?

***

Com os queridos do peito Juju e Sabogs.

***

Bar do David
Ladeira Ary Barroso, 66  Chapéu Mangueira, Leme

Tel. 7808.2200

Anúncios
Essa publicação foi escrita por Tais Martins e publicada em 17/05/2012 às 03:09. Está arquivada em $ baratinho, Almoço, Ar livre, Muito amor e marcada , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

2 opiniões sobre “#15, Bar do David

  1. Acho que sim, com certeza.

  2. Renato em disse:

    linda essa última foto!!

Meta a colher:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s