#3, Armazém Cardosão

Vinte de janeiro, dia de São Sebastião, padroeiro da cidade lynda em que a gente vive. Se já não bastasse, o dia 20 caiu numa sexta-feira e rendeu um feriadão de muito sol e de dias lindos para se aproveitar as delícias da gula.

No sábado, pegamos o carro, chamamos um casal de amigos topa-tudo e embarcamos numa viagem deliciosa rumo ao subúrbio da zona sul. O discurso pode parecer preconceituoso, mas na verdade se trata de um dos cantos mais bonitos que essa cidade (ainda) esconde e guarda com carinho. No meio da confusão da rua das Laranjeiras, uma ladeira despretensiosa, próxima a rua General Glicério, nos leva até o paraíso perdido da zona sul.

A rua Cardoso Júnior é a responsável pela poesia. Basta subir para entender o que estamos falando. Entre curvas estreitas e casas antigas, uma vista de tirar o fôlego – qualquer semelhança com Santa Teresa é mera coincidência. No meio da subida, a parada mais do que estratégica: uma portinha, protegida por um toldo azul, nos convida para uma deliciosa tarde no Armazém Cardosão. Sim, é Cardosão mesmo, pra deixar qualquer um se sentindo em casa.

Chegamos por volta de 14h e pegamos uma das últimas mesas na sombra. Todas elas ficam numa rua de pedestre na lateral do armazém e em frente a uma quadra de esportes, cercadas de muitas árvores. O cardápio é maravilhoso: feijoada (aos sábados) e moqueca (aos domingos). Além disso, petiscos (que parecem de-li-ci-o-sos) e bebidas. Só.

Posso falar? Fiquei impressionado com o preço. Querem ver?

Prato principal  :: Feijoada (com tudo que faz dela uma feijoda de respeito) :: r$ 35 para duas pessoas
Éramos 4, pedimos duas. Gostosa, caprichada, com carinha de feijoada feita em casa. Só  de olhar para os potinhos, dava pra ver: as carnes muito apetitosas e o caldo do feijão sem aquela camada de gordura. Só isso já é capaz de deixar meu coração em festa. Acompanhando o feijão, os clássicos: arroz, farofa, couve (que estava um esplendor! Fininha, verdíssima, uma coisa!), laranja e torresmo. Para os mais audaciosos, se pode pedir separado orelha e pé. As porções são muito bem servidas – quatro pessoas, incluindo dois rapazes muito bons de garfo, comeram bem e com sobras. E, claro, tudo isso acompanhado de cerveja geladíssima, um privilégio com o calor que fazia.

Sobremesa  :: Pudim :: r$ 4,5
Nada sensacional. Aliás, estava bem sem graça, não tinha nem de longe o cuidado da feijoada. Além do que, era pequenininho. Uma pena.

No total, gastamos r$ 156, o que incluiu muitas bohemias geladas (a preço de Rio de Janeiro, diga-se de passagem), um refrigerante, além do prato e sobremesa.

O saldo? Três cariocas e um paulista (!) aproveitando uma tarde maravilhosa (apesar de quente) e muito satisfeitos com o almoço. Nosso querido amigo paulista até esqueceu que o serviço foi lento – bem a cara do Rio – apesar de muito simpático e caseiro. A feijoada, que estava uma delícia, não foi a melhor da vida, mas rendeu um almoço pra lá de agradável.

Para fechar, na volta para a casa, seguimos a ladeira da Cardoso Júnior e descemos para Botafogo pelo Mundo Novo. Os paulistas que me desculpem, mas beleza é fundamental.

***

Um obrigada a nossa querida Juju, que ajudou muito na escolha do almoço de alma carioca! (:

***

Armazém Cardosão
R. Cardoso Júnior, 312 – Laranjeiras
Tel. 2225-3493

Anúncios
Essa publicação foi escrita por eduardo blog.rhem e publicada em 28/01/2012 às 22:21. Está arquivada em $ baratinho, Almoço, Ar livre, Tradicional e marcada , , , , , , , , , , , . Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

11 opiniões sobre “#3, Armazém Cardosão

  1. Santo Mário em disse:

    lembrei que já estive lá, fui beber com a Giselle. falta o momento comilança.

  2. Juliana em disse:

    Só me esperem pra feijuca de frutos do mar =)
    nham nham!

  3. Carol em disse:

    Morri com essa foto da feijoada. Vontade de largar tudo e ir pro Cardosão.
    By the way, não sabia do blog :) Que delícia!

    • taismartins em disse:

      Quando vc vier, teremos uma edição especial para vc matar as saudades das gostosuras daqui. (: Vem logo!

      • Juliana Lugão em disse:

        Hm! Vamos marcar a feijuca de frutos do mar pra quando a Carol estiver? É na comunidade lá do Leme, ela é local ;) Aí fazemos a versão ao vivo da mesa de bar desse domingo. Que tal?
        nham!

  4. Carol em disse:

    VA-MOS!

    (Aquela que responde um mês depois)

  5. Pingback: #16, Insalata, São Paulo « Pique-baleia. Comigo não tá!

Meta a colher:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s